Ana Margarida de Carvalho vence Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco

O livro "Pequenos Delírios Domésticos", de Ana Margarida de Carvalho, venceu o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores, com o apoio da Câmara de Vila Nova de Famalicão, foi hoje anunciado.

Resultado de imagem para Pequenos Delírios Domésticos de Ana Margarida de Carvalho

A biblioteca lugar de inspiração

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Texto alt automático indisponível.


Cartazes da RBE

NA BIBLIOTECA TODOS
 PARTILHAM 
 DESCOBREM 
 CRIAM 
 COMUNICAM 
 LEEM 
 INTERVÊM

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas a sorrir, texto

Hoje, Dia Mundial da Alimentação. COMA FRUTA !



"Existem, várias razões que nos levam a comer fruta, das quais se destacam:


• A fruta tem um sabor doce e agradável ao paladar de todos. Pode haver, no entanto frutas que podemos apreciar menos, mas a grande variedade de frutas permite-nos poder escolher.

• A fruta é essencialmente constituída por água, de 90 a 95%.

• A fruta não tem mau colesterol, que está presente em muitos dos alimentos que consumimos.

• A fruta tem um efeito positivo no cérebro humano: estimula a memória. Pensar em cérebros jovens e em crescimento, em quem estuda e na importância da memória faz com que este benefício da fruta tenha efeito na opção pelo aumento do seu consumo.

• Existe a ideia de que a fruta é cara, o que na verdade é certo, mas se fizermos a comparação com outros alimentos, devemos dar relevância às claras vantagens da fruta na nossa alimentação, e portanto, devemos optar pela substituição de alguns desses alimentos por fruta.

• Comer fruta diariamente ajuda a manter um peso equilibrado e a prevenir doenças coronárias e cancro.

• A fruta sendo um alimento rico em fibras é importante na nossa alimentação. Os alimentos ricos em fibra ajudam na luta contra a obesidade, a hipertensão e outros fatores de doença. O consumo de fibras influência, ainda, no funcionamento do sistema digestivo.

• A fruta age sobre o nosso humor, existindo constituintes na fruta que contribuem para combater a depressão e, a nível mais simples, promovem uma atitude otimista.

• A fruta é versátil podendo ser consumida e confecionada de várias formas: em sumos de fruta caseiros (se optar por este método, deve consumir o sumo imediatamente, de modo a absorver todas as suas propriedades), puré, batidos, preparar saladas de fruta, misturar com outros alimentos, pode ser cozida, assada, pode-se comer com e sem casaca… enfim, do modo como desejar.

• Existem, ainda, razões éticas. Para os vegetarianos ou para todos os que acham que nenhum animal deve ser sacrificado para alimentar as pessoas, a fruta é uma boa resposta.

• E, ainda, existe a vantagem de podermos comer fruta em qualquer lado.

Faça a sua parte escolhendo as frutas de sua preferência e delicie-se. Aproveite e aquelas que você ainda não saboreou.

E lembre-se prefira as frutas da estação, pois estas possuem maiores quantidades de vitaminas e representam um menor custo."
(In, Frutas do Cávado)

Tudo pronto para @s noss@s alun@s e docentes :-)

Em TODAS as nossas bibliotecas escolares estão disponíveis muitos materiais sobre esta efeméride e também fruta para saborear.



No próximo dia 22


NOVIDADE




TÍTULO: Sua Excelência, de Corpo Presente
AUTOR: Pepetela 
EDITORA:Dom Quixote
SINOPSE
Num enorme salão deitado num caixão jaz um ditador africano. Está morto, mas vê, ouve e pensa. Assim estirado, aprisionado num corpo sem vida, mas na posse das suas faculdades intelectuais, só lhe resta entreter-se a recordar as peripécias vividas com muitos dos que lhe vieram dizer adeus, entre os quais se encontram diversos familiares, a primeira-dama (e as outras mulheres e namoradas), os numerosos filhos e as altas dignidades do Estado. Ao relembrar a sua vida, o percurso que o levou a presidente e os muitos anos como chefe de Estado, vai-nos revelando os meandros do poder político, o nepotismo que o corrói e os vários abusos permitidos a quem o detém.

E, como percebe tudo o que se passa à sua volta, e é muito difícil a um ditador deixar de o ser, Sua Excelência não só vai tecendo considerações sobre os presentes e os seus interesses políticos, como tenta adivinhar os seus pensamentos e maquinações. Pois, mesmo morto, não deixará a sua sucessão em mãos alheias, e nela tentará imiscuir-se através do seu espião-de-um-olho-só, que lhe é tão fiel na morte como era em vida.

A NOVA VERSÃO





A avaliação das bibliotecas é hoje uma prática consolidada nas escolas, resultado da aplicação generalizada do Modelo de avaliação da biblioteca escolar, que se tem vindo a afirmar, desde 2009, como um instrumento orientador de boas práticas e, simultaneamente, indutor de uma cultura de avaliação.


A nova versão, que agora se publica, incorpora um conjunto de alterações e introduz novos reajustes, resultantes da inquirição aos professores bibliotecários e a grupos de reflexão, da análise dos resultados recolhidos no decurso do ciclo avaliativo 2014-2017 e da necessidade de reforçar aspetos que possibilitem a aferição fidedigna do trabalho realizado no âmbito do desenvolvimento das competências preconizadas pelo Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória.

O documento mantém a estrutura, a organização da informação e a intencionalidade pedagógica que o caraterizavam nas anteriores edições. Os domínios continuam a ser unidades parcelares de análise e de avaliação, que correspondem às áreas nucleares do trabalho da biblioteca. Cada domínio integra um conjunto de indicadores, a que correspondem fatores críticos de sucesso e toda a informação relativa aos processos avaliativos que se lhes aplicam.

MIBE 2018


ATENÇÃO É SÓ CONCORRER






O CCO lança nova edição do Prémio Literário Joaquim Pacheco Neves - a OITAVA
O Círculo Católico de Operários (CCO) de Vila do Conde vai atribuir, pelo 8º ano consecutivo, o Prémio Literário Joaquim Pacheco Neves. Este Prémio tem como objetivo desenvolver e promover o gosto pela escrita e pela leitura junto dos alunos do concelho de Vila do Conde, convidando assim os alunos das escolas e agrupamentos do 2º e 3º ciclos do ensino básico e do ensino secundário a participarem nesta iniciativa. Os concorrentes deverão apresentar trabalhos inéditos no âmbito do conto, novela, teatro e história local e o prémio será atribuído, em ex aequo, a três trabalhos e tem o valor pecuniário de 250,00€ para cada um dos premiados.

Os trabalhos deverão ser entregues nas férias letivas da Páscoa e os vencedores serão conhecidos numa cerimónia a ter lugar no Auditório do CCO, em junho, onde também será lançado o livro com os contos premiados da edição 2017/2018.

Joaquim Pacheco Neves foi médico de profissão e o seu particular gosto pela leitura motivou-lhe a escrita. É sócio honorário do Círculo Católico de Operários e durante a sua vida dedicou muito do seu tempo ao CCO e às suas causas. Na sala Joaquim Pacheco Neves, aberta ao público, podemos encontrar demonstrações da sua ligação à associação, prémios literários com que foi distinguido e várias referências às suas vivências.

Do Júri do concurso fazem parte o Dr. Joaquim Amorim Costa, a Dra. Albina Maia e o Dr. António Nabais, que com os seus contributos permitem ao Círculo Católico de Operários dar continuidade a esta iniciativa em prol da língua portuguesa.